quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Jefferson Airplane

Jefferson Airplane foi uma banda americana de rock psicodélico formada em San Francisco no verão de 1965, uma pioneira do movimento musical psicodélico. Várias encarnações posteriores do grupo original continuaram a tocar sob nomes diferentes, um reflexo do passar dos anos e da formação da banda. Foram eles Jefferson Starship, mais tarde somente Starship e posteriormente Jefferson Starship The Next Generation.

Suas canções mais famosas como Jefferson Aiplane são "Somebody To Love", de 1966, "White Rabbit", de 1967; como Starship são "Sara", de 1985 e "Nothing's Gonna Stop Us Now", de 1987.

A banda foi formada na costa oeste dos Estados Unidos durante o verão de 1965 no que foi posteriormente considerado o estouro da cena folk de San Francisco. O cantor Marty Blain reuniu-se com o músico folk Paul Kantner, o guitarrista de blues Jorma Kaukonen, a vocalista de jazz e folk Signe Toly Anderson, o baterista Jerry Peloquin e o baixista Bob Harvey. A inspiração do grupo eram bandas como The Beatles, The Byrds e The Lovin' Spoonful.

Sua primeira aparição pública foi em 13 de agosto de 1965, no clube The Matrix em San Francisco. Peloquin era um músico experiente, cuja rejeição ao uso de drogas por parte dos outros membros da banda acabou o tirando da banda logo algumas semanas após o início do grupo. Skip Spence então o substituiu na bateria. A banda gradualmente desenvolveu um som mais elétrico que levou à substituição de Harvey por um amigo de infância de Kaukonen, Jack Casady, em outubro de 1965. No mesmo ano assinaram com a RCA Victor e gravaram o álbum lançado no ano seguinte, Jefferson Airplane Takes Off, bastante inspirado pela música folk.

No ano seguinte Spence foi substituído pelo baterista de jazz Spencer Dryden, e Anderson deu lugar à cantoraGrace Slick, anteriormente do grupo The Great Society, também de São Francisco. Slick trouxe à banda sua poderosa voz contralto, bem combinado com a música psicodélica do grupo, como evidenciado em canções como "White Rabbit" (de sua autoria) e "Somebody to Love" (autoria deDarby Slick, do The Great Society).

A transição para a notoriedade nacional começou com a aparição no Festival Pop de Monterey, em junho de 1967. O festival levou bandas de diferentes cenas incluindo New York, San Francisco, Los Angeles e Reino Unido, e a cobertura da televisão deu exposição internacional aos grupos. Tais bandas também participaram em diversos programas de televisão, como o The Ed Sullivan Show. A famosa aparição do Jefferson Airplane no programa televisivo de Ed Sullivan apresentando "White Rabbit" é notável pelo uso pioneiro do chroma key para simular a iluminação psicodélica das apresentações ao vivo da banda.

O grupo se manteve estável até 1970, tendo gravado mais cinco álbuns. O primeiro deles, Surrealistic Pillow (1967), incluía as canções clássicas "White Rabbit" (inspirada pela droga LSD, extremamente popular em San Francisco, em Bolero de Maurice Ravel e Alice no País das Maravilhas de Lewis Carrol) e "Somebody to Love". O nome do álbum foi sugerido por um dos produtores do álbum, Jerry Garcia, que mencionou que, de forma geral, o álbum era tão surrealista quanto um travesseiro. Garcia foi listado nos créditos do álbum como conselheiro espiritual.

Ainda em 1967, a banda mergulhou noacid rock com o álbum After Bathing at Baxter's, que continha grandes suites, demonstrando a qualidade de grupo com o rock psicodélico. Crown of Creation (1968) foi um álbum transitório, mais estruturado que o anterior. Inclui a canção "Lather" de Grace Slick, especulada ser para o baterista Spencer Dryden, com o qual supostamente teria um caso. No mesmo ano, o Jefferson Airplane lançou Bless Its Pointed Little Head, registrando uma apresentação ao vivo no The Fillmore. Em 1969 lançaram Volunteers, um álbum mais político, com destaque para as canções "We Can Be Together", "Good Shepherd" e "Wooden Ships". Esta última, que Paul Kartner escreveu juntamente com David Crosby e Stephen Stills, foi gravada tanto pelo Jefferson Airplane quanto por Crosby, Stills & Nash. Como ambas as bandas lançaram a canção no mesmo ano e foi escrita por membros de ambas as bandas, ambas as versões são consideradas como originais.

A banda se apresentou no Festival Woodstock em agosto de 1969. Em dezembro do mesmo ano apresentaram-se no concerto na estrada de Altamont na Califórnia. O concerto, liderado pelos The Rolling Stones, foi marcado pela forte violência, como o incidente Gimme Shelter, que levou à morte do adolescente negro Meredith Hunter, fatalmente agredido em frente ao palco pelos Hell Angels (que haviam sido contratados como seguranças) sob alegação de ter sacado um revólver durante a apresentação dos Stones.

Apesar da banda ter lançado seu maior álbum de compilação em 1970, The Worst of Jefferson Airplane, suas únicas novas canção naquele ano foram disponibilizadas no compacto Mexico. O lado A contava com críticas ao presidente Richard Nixon e suas ações para combater a entrada de maconha nos EUA. O lado B marcou o início de uma obsessão de Paul Kartner pela ficção científica, que ele iria explorar pelo resto da década.

Balin decidiu deixar a banda logo após o lançamento do compacto. Logo após Kantner e Slick demitiram Dryden do grupo. Lançaram então Bark em 1971 e Long John Silver em 1972. Ambos os álbuns foram lançados pelo selo da própria banda, Grunt, que continuou a ser distribuído pela RCA. O grupo substituiu Dryden por Joey Covington (que já havia participado no vocal do compacto Pretty as You Feel, de Bark). O legendário violinista Papa John Creach também reuniu à banda no início da década de 1970.

Durante esse tempo, Kaukonen e Casady começaram o projeto paralelo Hot Tuna, uma exploração do blues tradicional. Lançaram o álbum acústico Hot Tuna em 1970, e o elétrico First Pull Up-Then Pull Down no ano seguinte. Com o tempo, os dois músicos passaram a se dedicam mais ao novo projeto que ao Jefferson Airplane. Na canção "Third Week In The Chelsea" de Bark, Kaukonen detalha seus pensamentos em deixar a banda.

O segundo álbum ao vivo da banda foi Thirty Seconds Over Winterland (1973), e é lembrado por sua capa, um esquadrão de torradeiras voadoras. Em 1974 uma coleção de material restante foi lançado como Early Flight, o último álbum oficial do Jefferson Airplane.

(Fonte: Wikipédia)

Somebody to Love - Jefferson Airplane - Surrealistic Pillow 1967


2 comentários:

jefhcardoso disse...

Olá, Jahman! Conheço Jefferson Airplane, e acho bem legal o som. Parabéns pela postagem, pelo blog. Abraço!

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)
Gostaria de lhe convidar para que comentasse o meu conto “A infeliz procura por uma rachadura”. Ok?
http://jefhcardoso.blogspot.com de blog em blog.

JAHMAN disse...

Valeu Brother, psicodelia total esse clip!!!
Pode deixar que faço uma visita ao seu blog e um comentário sobre seu conto.
Continue visitando o blog e sinta-se em casa para nos ajudar a melhorar nosso conteúdo.
ABÇ!!!